Gerei um texto, pergunte-me como.

September 11th, 2004 | | No Comments »

Esta semana eu estava pensando em todas as palavras que eu não consigo falar por causa do meu acento, como squirrel, world e ruin e whirl e dizem que eu digo okay de um jeito muito peculiar.

E você? Tem blog, mensaginha de messenger ou senha de banco? Pense bem. Essa janela do messenger cabe muita letra!

Dusty Springfield cantando “the look of love”.

Jamais me revelarei.

Uma vez, eu já amei uma mulher pela beleza dela.

Outra vez, eu amei uma beleza pela mulher.

Cansou a beleza?

cansei de dar o pé!

ô mulher bonita

eu a vi por aí no verão

com um vestido simples curto, bem verão, de alcinhas, e umas sandalinhas rasteiras, os óculos escuros na cabeça e aquela porção de cachinhos

parecia saída direto de um livro do jorge amado, perfeita, perfeita

(putz, eu sou muito gaaaaay)

Ta bom, voce me convenceu… voce é feia… Você e a Paloma Duarte, aquela mocréia.

Borogodó. Taludinho. Parece o Gianecchini.

(nada, só falei pra dar um tom dadaista ao dialogo)

(vale misturar samba das antigas com gilberto gil?)

Pô… você já misturou tudo ha muito tempo. Claro que vale.

Laura is the face in the misty lights

Footsteps that you hear down the hall

The laugh that floats on a summer night

That you can never quite recall

A idéia que eu estou fazendo de você? menina, fique tranquila… nao tem como ser pior nem melhor do que a idéia que você possa fazer de mim.



Leave a Reply