Pra mim que amo estrada aberta

March 23rd, 2006 | | 1 Comment »

O pode-cast que tem música brasileira de primeira qualidade, tem o chefe narigudo mais inteligente e musical da paróquia, tem sotaque carioca, tem teoria musical, esta semana tem trios, incluindo Hermeto + Airto + Ron Carter, e tem também referência às palavras de ordem que saíram da cabeça do Mário Lago pras mãos dele, das mãos pro papel, do papel para a voz, da voz para o disco, do disco para uma caixa de som, da caixa de som diretinho pra minha lista de coisas a prestar atenção e seguir à risca:

Três coisas pra mim no mundo
Valem bem mais do que o resto

Pra defender qualquer delas

Eu mostro o quanto que presto
É o gesto, é o grito, é o passo

É o grito, é o passo, é o gesto

O gesto é a voz do proibido
Escrita sem deixar traço

Chama, ordena, empurra, assusta

Vai longe com pouco espaço
É o passo, é o gesto, é o grito

É o gesto, é o grito, é o passo

O passo começa o vôo

Que vai do chão pro infinito

Pra mim que amo estrada aberta

Quem prende o passo é maldito

É o grito, é o passo, é o gesto
É o passo, é o gesto, é o grito

O grito explode o protesto
Se a boca já não dá espaço

Que guarde o que há pra ser dito
É o grito, é o passo, é o gesto

É o gesto, é o grito, é o passo
É o passo, é o gesto, é o grito

(Mário Lago)

PS: O áudio veio da página do Acuri.
PPS: Fala de gesto, lembro dela.


Mínimas

March 19th, 2006 | | No Comments »
  • Do obituário da minha televisão:

Not only I gave up on tv, my tv also gave up on me – for Lent and beyond. It went out in grand style, with a sad click, the sudden darkness and a weird smell, right in the middle of Pride and Prejudice this Friday night.

  • Meguita gostou do link da Bettie. Como diz meu amigo aqui: “diliça!”.

  • Sonhos cada vez mais esquisitos. Vixe, sai pra lá… Quando são bons é bom, mas esses roteiros emprestados de filme de ação são de quinta!

  • O filme Pride and Prejudice, que nós terminamos assistindo no laptop da Juju, me deu vontade de agarrar um livro da Jane Austen e ficar me deliciando com as heroínas cabeçudas dela, e de ver a versão inglesa com Colin Firth. Dili… ah, deixa pra lá.

  • Assustador, ontem: colocar o disco do Leo Jaime que eu ouvia quando tinha 10 anos e ainda saber toooodas as letras de cor, e cantar junto inclusive o solinho de guitarra de “eu vivo só”.

  • Comprei 4 cds usados por 7 dólares, uma moça muito econômica. A saber: REM, Out of Time, por 1 dólar, Marisa Monte, Great Noise (com os peitinhos do Zéfiro devidamente cobertos por uma tarja preta, a indecência!), 1 dólar, Bebel Gilberto, Tanto Tempo, 2 e 50, e Egberto Gismonti, Nó Caipira, 2 e 50. Voltei pra casa bem contente, tá?




Desejo de regresso

March 15th, 2006 | | No Comments »

Deixai-me nascer de novo,
nunca mais em terra estranha,
mas no meio do meu povo,
com meu céu, minha montanha,
meu mar e minha família.

E que na minha memória
fique esta vida bem viva,
para contar minha história
de mendiga e de cativa
e meus suspiros de exílio.

Porque há doçura e beleza
na amargura atravessada,
e eu quero memória acesa
depois da angústia apagada.
Com que afeição me remiro!

Marinheiro de regresso
com seu barco posto a fundo,
às vezes quase me esqueço
que foi verdade este mundo.
(Ou talvez fosse mentira…)

Cecília Meireles
(in Mar absoluto)

De repente eu percebo que não é só a sopa que eu tenho que digerir…
Há todo um saldo e dívida de abraços por receber e dar, e não tem um caixa automático por perto quando eu mais preciso, só em sonho mesmo é que os abraços aparecem até inesperados, mas trazendo um conforto que me acompanha pelo dia inteiro.
E o pior de chorar olhando pro teto com medo do escuro é a lagriminha que entra furtiva no ouvido, estragando o romantismo todo da coisa.

Ao vivo, de dentro da colcha lilás.


How I did it

March 9th, 2006 | | 3 Comments »

For ages I intended to clean my computer of the ageing of Windows XP
with its cluttering files, all the programs that I installed and
uninstalled and installed again and didn’t use anymore, and my own
useless junk. Ages, I said? A few months, the total age of the system
being around 18.

Less than a week after I took the plunge, lifehacker.com editor Gina
Trappani gave instructions for exactly that. I noticed I wasn’t that
far off. Yay!

Here’s how I did it:

1) I bought an external HD because, they say, backing up is
important. And because of what I know I’m capable of. I’m the kind of
computer user who knows just enough to screw things up. I proceeded to
back up everything on my laptop’s HD.

2) A few days later (during Carnival), I decided to reinstall Windows with the cd that
came with my system. I asked around for support and encouragement,
which I got from Leo and Azy (thanks!). I checked for documents I had
altered in those few days, and backed those up. I should have used
mozbackup to backup my firefox (although I had the bookmarks), or the
docs and settings feature of Windows XP, but one of my purposes was to
get rid of my own stuff, so I didn’t bother.

3) Disk in hand, I reinstalled Windows. Wasn’t that difficult. I
thought I would have to curse a few times, but it was unnecessary.

4) Back online! My pendrive had the key for the wireless connection.

5) Install the fresh programs from Google Pack. Beeeeeautiful. I
didn’t install all the programs, but it was a huge help: Ad-Aware,
Adobe Reader, Google Desktop, Firefox, Picasa and Trillian all at
once.

6) Tweaking is my middle name. I got rid of the “bubbly feel”
(wakalix‘s choice of words) of Win XP sometime ago, and changed
several other things: no startling sounds, no confirmation for
deleting files, show me the whole path on the window, remove the
programs I didn’t want, switch start menu to classic view (more
below), disable error reporting,… Hard work, but my machine is my
machine and it’s exactly the way I want.

7) Customizing the start menu. I want access to the programs and I
want it FAST! No digging through all the folders and programs in
simple alphabetical order. So now I have just the shortcuts for the
programs in one of the three main program folders (Web & docs,
Housekeeping and Media), no uninstall shortcuts or licences or help
files. I can always get to those the difficult way.

8) More software, this time, the stuff I really need: Office, VPN,
Viruscan and Endnote. The first three were free from the university,
Endnote is a life saver worth every penny.

8) I didn’t bring all the stuff back. My photos, music and personal
files are only in the external HD. I understand at this moment it’s
not backup anymore, but I can live with that.

9) I put a folder named Junkdrawer on My Documents and it’s working
really well. I will try to make my folders as I go along, and keep
them sensible.

10) Manteinance. Place your bets, I wonder how long I can keep
everything this clean and organized. Meanwhile, in my bedroom…


Pining for Pine

March 8th, 2006 | | No Comments »

I want Pine baaaack! Gmail shortkut keys help, but it’s not the same as "dddxy"!

Fortune Magazine brings the secrets of very successful people:

I don’t feel overwhelmed with information. I really like it. I use Gmail for my personal e-mail — 15 to 20 e-mails a day — but on my work e-mail I get as many as 700 to 800 a day, so I need something really fast.

I use an e-mail application called Pine, a Linux-based utility I started using in college. It’s a very simple text-based mailer in a crunchy little terminal window with Courier fonts. I do marathon e-mail catch-up sessions, sometimes on a Saturday or Sunday. I’ll just sit down and do e-mail for ten to 14 hours straight. I almost always have the radio or my TV on. I guess I’m a typical 25- to 35-year-old who’s now really embracing the two-screen experience.

Marissa Mayer

VP, Search Products and User Experience, Google

 (Via Lifehacker)


São centenas, são milhares.

March 8th, 2006 | | No Comments »

Heloisa e Lavínia, de Suelly, de Maria Rita e Antônia, de Irinéia, Marfiza e Mariana, de muitas outras…

E ao contrário, de Antônia, Arly, Maria e Ady, Denise, Marília, Marcia, Arlene, Nisinha, Anelise, Cristiane, Cássia, Clarisse, Marceny, Marly, Fernanda, Regina, Marina, Elisa, Laura, Marizete, Eny, Maira, Marta, Marfisa, Mariana, só algumas.

E de Maria Rita, claro, Marcia, Maria Rita, Miriam, Fabíola, Flávia, Marcinha, Maíta, Maria Fernanda, Ravit, Giovana, Júlia, Marcella, só pra começar.

Feliz Dia da Mulher.


Tudo que a antena captar meu coração captura

March 7th, 2006 | | 1 Comment »

         a mãe diz pra eu fazer alguma coisa
         mas eu não faço nada
         a luz do sol me incomoda
         então deixa a cortina fechada
         é que a televisão me deixou burro
         muito burro demais

Desde quinta passada até (pelo menos) a Páscoa, exceto pelos domingators. Sobrevivo?


Nerdice pouca é bobagem…

March 6th, 2006 | | No Comments »


A estante da memória a um clique de distância, ou: o truque para me sentir querida o dia todo.