Relaxa, gata!

February 17th, 2014 | | 1 Comment »

(Este texto é da programadora Katie Cunningham e foi publicado em seu blog pessoal, The Real Katie, e no BuzzFeed. A tradução é minha. Aceito correções e revisões.)

Recentemente, me perguntaram por que uma mulher que adora programar largaria esse ofício. Sério: houve um momento da minha vida em que eu decidi que programar era algo que eu só faria em privado. Só agora estou devagar voltando ao mercado.

Eu amo programar. Faço isso desde antes da puberdade. Fazia isso quando mal tinha dinheiro pra pagar o servidor. Faço isso nos fins de semana e noites, e estou ensinando meus filhos como fazê-lo. Gastei milhares de dólares para ir a conferências para poder aprender mais. Por que eu largaria uma profissão em que sou paga para fazer o que amo?

Em resumo, eu cansei de ouvir “relaxa”.

Tooga/Getty Images via BuzzFeed

Tooga/Getty Images via BuzzFeed

Essa indústria carrega um machismo sutil. Eu quase prefiro machismo aberto, porque pelo menos você consegue apontá-lo. As farpas sutis são geralmente descartadas como algo com que eu não preciso me preocupar. É uma piada! Afe. Por que você é tão sensível? Eu só fiz uma piada sobre você ter que estar na cozinha!

Relaxa.

As farpas também não são sempre piadas. Às vezes, são tentativas de me empurrar para um papel tradicionalmente “feminino”. Como mulher, eu fui a única pessoa do grupo a quem pediram para organizar um lanche (supostamente, esse é um trabalho indigno para homens). Eu fui a única a quem pediram para tomar notas numa reunião… mesmo quando eu sou a apresentadora (porque meu título deveria ser “secretária que deixamos entrar nos servidores”). Uma vez eu tive um chefe que queria tanto me transformar em sua secretária pessoal, que acabamos numa reunião com o RH (ele, homem e branco, deveria poder reinar sobre a única mulher da equipe!).

Por que eu tenho que levar tudo isso pro lado pessoal? Afe.

Relaxa.

Às vezes, mesmo os golpes nada sutis são difíceis de combater. O que você diz para o cara que senta na frente da sua mesa e faz um comentário pra todo mundo sobre isso? “Opa, a Katie veio com o vestido decotado hoje! Já sei onde vou sentar!” Dizer alguma coisa e desviar o assunto da reunião? Ir para o RH e entubar o trabalho dele quando ele for transferido ou despedido? Ser transferida para fora da melhor equipe e definhar em outro departamento? Começar a usar suéteres, apesar de os meus peitos ficarem fervendo lá dentro (é, essa é uma razão de as mulheres gostarem de decotes)? Qual rótulo eu vou querer hoje? Frígida ou vagabunda?

O que tem de errado com você? Foi um comentário! Aposto que você o processaria se ele comentasse sobre os seus sapatos.

Relaxa.

Toda vez que eu falei dessa porcaria toda, eu consegui alguma compreensão, mas também gente que não entende qual é o grande problema. Se eu não estou no meio de ser estuprada ou espancada ou ameaçada ou demitida, adivinha o que eu tenho que fazer?

Relaxa.

Quanto tempo você aguentaria isso? Você ama alguma coisa tanto assim? Se sua mulher tratasse você sutilmente feito lixo todo dia, quanto tempo duraria seu casamento? Se você visse um amigo sendo tratado assim pelo chefe, você não falaria para ele pedir demissão?

Ou você diria a ele para relaxar?

Você aí, me mandando relaxar, viu uma coisinha. Não pareceu grande coisa, né? Uma gracinha! Uma piada! Um comentário! Mas não é só uma coisa para mim: é uma das milhares que eu tive que aguentar desde que eu tinha idade suficiente para me dizerem “X é para garotos!”. Provavelmente não é nem a primeira coisa com a que tive que lidar naquele dia, a menos que você tenha me visto bem cedo.

Esse é o problema com a discriminação sutil. Ela deixa aqueles mais afetados impotentes diante dela, desencorajando-os silenciosamente. Se eles se manifestam, eles ganham no mínimo desprezo, ou são chamados de opressores eles mesmos. Somos acusados de não querer direitos iguais, mas tirania.

Eu só queria que os milhões de farpas parassem, e queria que não me dissessem “relaxa”.


One Comment on “Relaxa, gata!”

  1. 1 Spark said at 21:55 on February 17th, 2014:

    posso mandar isso para todas as equipes em que já trabalhei?


Leave a Reply